Você consegue me ver?

2020

vídeo | 5'23'' | loop

cor, sem áudio (color, no sound)

Você consegue me ver? (2020), é um vídeo no formato captura de tela que registra uma vídeo chamada entre duas imagens da mesma pessoa. A ação é contínua, retratando um rosto aparentemente idêntico que observa algo, que cria um diálogo através da observação. Há uma pequena diferença na qualidade e um atraso no tempo entre as duas câmeras frontais. Um autorretrato baseado em dois tempos, dois espaços, duas imagens e uma pessoa.

Você consegue me ver? (Can you see me?, 2020), is a video in screen capture format, which records a video call between two simultaneous images of the same person. The action is continuous, portraying that same apparently identical face that observes something, that creates a dialogue through observation. There is a slight difference in image quality and a delay in time between the two front cameras. A self-portrait based on two times, two spaces, two images, and one person.

PloktaTV SE/02 | Texto curatorial/ Curatorial text

"Nicole Kouts' Você consegue me ver? (2020, 5'23'') captures the uncanny valley between digital doppelgängers. In a video call with herself, Kouts' doubled faces take turns gazing at each other. The slight time delay and image disparity severs one from the other, in an alienated, wordless conversation with the self."

*tradução: Nicole Kouts Você consegue me ver? (2020, 5'23'') captura o “vale da estranheza” entre doppelgängers digitais. Em uma videochamada consigo mesma, os rostos duplos de Kouts se revezam olhando um para o outro.  O ligeiro atraso de tempo e a disparidade de imagem os separam, em uma conversa alienada e sem palavras com o self.”

PloktaTV SE/02: The Hidden Life of Technology https://plokta.nl/news/behind-network

45º SARP - Salão de Arte de Ribeirão Preto Nacional-Contemporâneo

MARP - Museu de Arte de Ribeirão Preto | Ribeirão Preto, São Paulo,  Brasil 

Créditos: Arquivo MARP/ Maurício Froldi, 2021

O número 1 da tiragem 1/5 do vídeo Você consegue me ver? (2020) foi doado ao MARP - Museu de Arte de Ribeirão Preto e integra o acervo público do museu desde fevereiro de 2021.

©2021 por/by Nicole Kouts